A promessa do Triunfo

Neste fim de milênio, que afunda nos pecados mais abomináveis, a celestial promessa de Nossa Senhora nos deve alentar e dar esperança.

Há algo mais, de importância primordial, que motivou a Mãe de Deus a transmitir sua mensagem aos três pastorinhos. É o anúncio da vitória d’Ela sobre o império de Satanás, ou seja, o Reino de Maria, previsto por São Luís Maria Grignion de Montfort e por vários outros santos.

Neste fim de milênio, que afunda nos pecados mais abomináveis, a celestial promessa de Nossa Senhora nos deve alentar e dar esperança.

Para que nossos olhos possam contemplar maravilhados o meio-dia desse sol – o triunfo do Imaculado Coração de Maria -cuja aurora despontou em Fátima a 13 de maio de 1917, a Virgem Maria nos indicou o caminho: “Se fizerem o que Eu vos disser, salvar-se-ão muitas almas e terão paz”.Uma dificuldade surge, no entanto. Os pedidos de Nossa Senhora não foram atendidos; os homens continuam a pecar em progressão cada vez mais assustadora. Que razões temos para crer que Nossa Senhora dará cumprimento à sua promessa?

Suas próprias palavras. Pois a Santíssima Virgem só põe condições para evitar os castigos, não, porém, para fazer triunfar seu Coração Imaculado. Quanto a isto, o texto da mensagem não deixa dúvidas. Após o anúncio de uma sucessão de calamidades que adviriam para a humanidade caso esta não se convertesse, Nossa Senhora conclui categoricamente, sem antepor condição alguma: “Por fim, o meu Imaculado Coração triunfará”.

Como se chegará a essa vitória final sobre o pecado, não o sabemos, nem parece tê-lo revelado a Mãe de Deus. Apenas é certo que todos quantos atenderem seus pedidos se salvarão, e muito possivelmente serão chamados a participar do magnífico triunfo da Rainha do Universo.

São Luis Maria Grignion de Montfort, no seu Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem, previu o reino da Mãe de Deus na Terra. Animado de ardoroso carisma profético, esse grande apóstolo marial previu que, ao ser conhecida e posta em prática a devoção a Maria por ele ensinada, o reino da Mãe de Deus estaria implantado na Terra. Em outros termos, antevia ele o triunfo do Imaculado Coração de Maria, por Ela prometido em 1917.Nossa Senhora_por do sol

Assim exclama São Luis Grignion:

“Ah! Quando virá este tempo feliz em que Maria será estabelecida Senhora e Soberana nos corações, para submetê-los plenamente ao império de seu grande e único Jesus?

Quando chegará o dia em que as almas respirarão Maria, como o corpo respira o ar? Então, coisas maravilhosas acontecerão neste mundo, onde o Espírito Santo, encontrando sua querida Esposa como que reproduzida nas almas, a elas descerá abundantemente, enchendo-as de seus dons, particularmente do dom da sabedoria, a fim de operar maravilhas de graça. Meu caro irmão, quando chegará esse tempo feliz, esse século de Maria, em que inúmeras almas escolhidas, perdendo-se no abismo de seu interior, se tornarão cópias vivas de Maria, para amar e glorificar Jesus Cristo? Esse tempo só chegará quando se conhecer e praticar a devoção que ensino. Ut adveniat regunum tuum, adveniat regnum Mariae (Que venha o Reino de Maria, para que assim venha o Reino de Jesus Cristo)!”.

Fonte: Arautos do Evangelho

3 comentários sobre “A promessa do Triunfo”

  1. Pergunta , quando vier este tempo de vitória do imaculado coração de maria, ele durara quanto tempo? , pois temos que conciliar esse tempo com o fim do mundo físico que tbm vira posteriormente a este evento mariano da paz ; suponho , como a bíblia e agostinho mesmo disseram – a figura deste mundo passara ,esta de acordo com isso algumas teorias da própria ciência ( astronomia ,astrofísica, física ) que preveem um fim catastrófico pro universo físico, com a morte térmica do universo , o nosso sol ”explodira” e incinerara a terra , derretendo seus elementos ,pode-se conciliar estas teorias como o fim do mundo citado no livro de Pedro na bíblia?. . A doutrina do milenarismo foi combatida como herética por santo agostinho , ou seja não pode haver uma paz definitiva neste mundo , não é ?. Por fim meu imaculado coração triunfara , isso significa a paz alcançada por maria aos homens neste mundo ? .Gostaria de uma resposta , pois alguns fazem vista grossa as minhas perguntas como se sua suposta ”fé” fosse superior a uma pergunta racionalmente formulada . Grato.

    1. Prezado, sua pergunta é bastante pertinente, de fato, o milenarismo é uma heresia, que significa que o reino de Deus seria implantando no mundo por um tempo. Também concordo que as opiniões de algum, mais do que nos ajudar a entender, acabam nos atrapalhando, não é verdade?
      O que vc deve saber é que está no catecismo:
      “677. A Igreja não entrará na glória do Reino senão através dessa última Páscoa, em que seguirá o Senhor na sua morte e ressurreição (644). O Reino não se consumará, pois, por um triunfo histórico da Igreja (645) segundo um progresso ascendente, mas por uma vitória de Deus sobre o último desencadear do mal (646), que fará descer do céu a sua Esposa (647). O triunfo de Deus sobre a revolta do mal tomará a forma de Juízo final (648), após o último abalo cósmico deste mundo passageiro (649)”.
      O que o catecismo nos diz: a glória da Igreja só ocorrerá, ou seja, o triunfo só ocorrerá quando este mundo acabar, quando Jesus vir e ter o juízo final.
      Como então entender este tempo de paz das profecias marianas?
      A interpretação é que o triunfo predito é exatamente quando ocorrerá o fim do mundo, quando a Igreja entrar na glória de Deus, enfim, qundo ocorrer o juízo final, é o que nos diz São João Paulo II, ao explicar sobre o que Montfort dizia, que era parecido com a profecia de Fátima: Esta dimensão escatológica é contemplada por São Luís Maria sobretudo quando fala dos “santos dos últimos tempos”, formados pela Virgem Santa para levar à Igreja a vitória de Cristo sobre as forças do mal (cf. Tratado sobre a verdadeira devoção, 49-59). Não se trata de modo algum de uma forma de “milenarismo”, mas do sentido profundo da índole escatológica da Igreja, ligada à unicidade e universalidade salvífica de Jesus Cristo. A Igreja espera a vinda gloriosa de Jesus no fim dos tempos. Como Maria e com Maria, os santos são na Igreja e para a Igreja, para fazer resplandecer a sua santidade, para alargar até aos confins do mundo e até ao fim dos tempos a obra de Cristo, único Salvador. http://w2.vatican.va/content/john-paul-ii/pt/letters/2004/documents/hf_jp-ii_let_20040113_famiglie-monfortane.html

      Agora, é claro, caro Henry José, que a catolicidade (significa que a doutrina da Igreja sempre tende a se estender para todos os povos) é contínua, daí também ser correto que haverá inúmeras conversões.

  2. Um adendo, quando eu disse que: “que o catecismo nos diz: a glória da Igreja só ocorrerá, ou seja, o triunfo só ocorrerá quando este mundo acabar, quando Jesus vir e ter o juízo final”. Estava me referindo ao triunfo definitivo, de modo que quando Nossa Senhora que seria concedido ao mundo um tempo de paz, tal possibilidade só pode significar a correspondência com o que SJPII nos disse: “santos dos últimos tempos”, formados pela Virgem Santa para levar à Igreja a vitória de Cristo sobre as forças do mal.” Então este tempo de paz seria, justamente, a vinda dos santos dos últimos dia para estender a catolicidade.
    É a interpretação que obtive das citações acima, mas, posso estar equivocado.

Deixe uma resposta