Antonio Obá tem 33 anos, nasceu em Ceilândia, na periferia de Brasília.

Professor de Artes na rede estadual de Educação do Distrito Federal e Professor na  Fundação Educacional do Distrito Federal, o “artista” Antônio Obá foi indicado ao prêmio Pipa, numa apresentação em que nu, destrói, com um ralador, a imagem de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil.
 Na apresentação, o artista rala uma imagem de gesso de Nossa Senhora Aparecida, transformando a imagem de Maria, Mãe de Jesus, em um pó branco com o qual cobre seu corpo, negro e nu, para produzir, de acordo com o artista, novos significados, que criticam o racismo velado da sociedade brasileira e remetem às tradições das religiões de matriz africana. Ou seja, ele utiliza da destruição de símbolos de uma religião para enaltecer suas convicções religiosas.Em outras palavras, quer criticar a intolerância sendo intolerante.
“É uma performance de 2015. No entanto, sua “gestação”, por assim dizer, foi longa. Fiquei pensando a ação por um ano; era uma imagem que, volta e meia, me vinha à mente: ralar a imagem de um santo. No entanto, eu não sabia ao certo o que isso significava…” diz o herético em entrevista ao Portal UOL.
E continua:
“Minha família sempre foi muito católica; fiz parte, conheci e entrei em contato com ritos interioranos: quermesses, romarias, folia de reis… E a ideia de ritual sempre me foi interessante.” Dá para ver que não aprendeu nada com os valores do cristianismo…
“Ralar uma imagem preta até reduzi-la a um pó branco, jogar esse pó sobre si, após um “trabalho” braçal extenuante, se encobrir, fazendo desaparecer sua pele, sua identidade, são aspectos que a performance toca.” Continua o “artista” ainda na entrevista para o Portal UOL.
Fonte: https://blogdoarcanjo.blogosfera.uol.com.br/2017/07/20/nu-artista-antonio-oba-faz-performance-com-nossa-senhora-aparecida-e-concorre-a-premio-de-130-mil/
Ajustes: http://filhosdedeus.blog.br/artista-brasileiro-faz-performance-onde-fica-nu-e-destroi-imagem-de-nossa-senhora/

18 COMENTÁRIOS

  1. Essa pessoa é professor da rede pública, imaginem o que ele ensina na escola onde leciona. É como o texto diz: “(…) ele utiliza da destruição de símbolos de uma religião para enaltecer suas convicções religiosas. Em outras palavras, quer criticar a intolerância sendo intolerante.” É o que mais vemos nesse pessoal participante de movimentos sociais. Falam de intolerância, mas são intolerantes. Na escola onde trabalho foi feito um trabalho sobre intolerância, uma série de palestras, mas quem não foi chamado para palestrar? Nenhum padre católico e ortodoxo, um pastor. Pois o lance qual era? Era falar da intolerância que os negros e suas religiões de matiz africana, da intolerância que os homossexuais sofrem nas mãos dos cristãos etc.

  2. Fiquei indignada. Independente do credo, o respeito deve caber em qualquer situação. Quando um desrespeita, muitos são desrespeitados!

  3. Acredito que nâo tenha sido feito para “enaltecer” as religiões de matriz africana. Vejo essa performance como uma crítica aos tempos coloniais, em que eram impostos nos negros escravos costumes europeus, inclusive relacionados à religião (por isso ele passa o pó branco no corpo, para demonstrar que, após toda essa influência, os escravos não eram mais eles, e sim cópias de europeus).
    Também pensei na época do absolutismo monárquico, em que a Igreja era superior ao Estado e só quem ocupavam esses cargos eram os brancos. Então, isso representaria como uma súplica para conseguir adentrar na Igreja, conseguindo um posto do qual ele pudesse viver bem (diferentemente de trabalhando no campo). Então, ele se cobre de “fé” (o pó) e ainda por cima fica com a pele branca, tendo em visa que esse era um dos critérios. Se irmos além, podemos até considerar que critica a falsa fé nesses tempos antigos de absolutismo monárquico para ganhar poder (por isso destruir a imagem).
    Tenho muitas outras visões sobre essa performance, mas cada um tem seu pensamento. Não tenho a intenção de influenciar alguém, mas lendo este artigo ideias surgiram em minha mente.

    • Luisa, você pode acreditar, ver, pensar, considerar ou ter varias outras visões sobre essa performace, mas o que ele fez é errado, é crime previsto em lei e ele tem que pagar por isso!

    • Desde quando o Brasil Imperial vivia num regime de absolutismo monárquico? Você conhece a Constituição do Império do Brasil de 1924? Você já ouviu falar de Dom Vital, Bispo de Olinda, que foi preso por ordem do Visconde de Rio Branco, Ministro do Imperador Dom Pedro II, por ter obedecido uma ordem do Papa Pio IX que conflitava com o ordenamento à época? Era naquele tempo de “absolutismo monárquico”, em que floresceram escritores como Machado de Assis (mulato), poetas como Cruz e Souza (negro) e dos engenheiros baianos André e Antonio Rebouças (negros), que tanto orgulham a engenharia nacional com diversas obras, dentre as quais destaco o projeto e construção da Ferrovia Curitiba – Paranaguá, magnífica obra que resiste até os tempos atuais!
      O que esse “artista” demonstra em sua performance é nada mais do que recalque e ressentimento, fruto de um “coitadismo” que tomou conta dos negros do Brasil republicano!
      Eu queria ver qual seria a sua opinião se essa performance fosse com a imagem de um orixá sendo “ralado” por um branco, ou japonês, ou qualquer “artista” de outra etnia. Além do mais, essa “demonstração artística” pode ser considerada crime, conforme o que preconiza o artigo 208 do Código Penal Brasileiro onde diz que:
      (…)Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou pratica de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso

      Pena – detenção, de 1 (um) mês a 1 (um) ano, ou multa(…)

      Pense nisso !

  4. O CRIME está aí exposto, todos testemunharam. .. vilipendio ao culto religioso, Artigo 208 do codigo penal….

    Alguém já abriu processo contra esse ser? Acredito que a própria igreja católica deveria ter a iniciativa. Esse cara é perito em esculhambar com nossa fé e continua solto e ganhando prêmio. .. pelo jeito não é só na política que nada acontece com os criminosos…

  5. Uma obra para ser considerada como manifestação artística precisa estar alicerçada no inusitado, como esse gesto de desconstrução, agressão e sexualização da iconografia católica já foi proposto por outros artistas, milhares de vezes e nas mais variadas formas, essa exibição torna-se , apenas, um ato agressivamente tosco e medíocre. Se lembrarmos que estamos vivendo em tempos do Estado Islâmico, no qual o desrespeito as opções e convicções do próximo estão estarrecendo o mundo, essa pseudo arte acaba se caracterizando como um exemplo claro de idiotice. Obviamente ela vai acirrar o ódio, despertar o nojo e não surtirá nenhum efeito que leve a uma releitura dos paradigmas cristãos . Agora quando a repercussão negativa vier e de forma avassaladora, espero que seus autores nos poupem de um discurso vitimista. Em outras palavras: vá ser burro assim na puta que o pariu! O nome desse animal é Antônio Obá. Infelizmente é professor de artes no DF. Alguém precisa explicar para ele que , caso deseje criticar artisticamente qualquer um ou qualquer coisa . que é preciso que ele descubra uma forma original de fazê-lo, não basta somente, ser estupidamente mais agressivo.

  6. Independente da mensagem que esse rapaz queira passar em relação ao racismo, jamais deveria ter utilizado uma imagem de Nossa Senhora. Poderia ter exercitado um pouco mais a imaginação e substituído por um símbolo que não fosse religioso. Todos somos livres para nós expressarmos, mas destruir ou ultrajar o que muitas pessoas consideram sagrado é uma insensibilidade, é grosseiro e retira todo o valor da performance deste artista.

  7. O BRASIL VIROU UM PULEIRO…COMO UM PROFESSOR PODE FAZER ISSO, DIZENDO SER ARTE. IMAGINO O QUE ELE FAZ NUMA SALA DE AULA. SERA QUE ELE NÃO SABE OU NÃO LEU A CONSTITUIÇÃO E PERCEBEU QUE COMETEU UM CRIME? MAS ESQUEÇO SEMPRE QUE NO BRASIL CIDADÃO HONESTO É QUE NÃO SERVE PRA NADA, JA ESSAS PORCARIAS QUE DENIGREM QUALQUER COISA, SÃO ATÉ PREMIADOS….SERÁ QUE É PELO TAMANHO DO RALADOR? QUE PAÍS É ESSE???????

  8. Nossa Senhora, misericordiosa… perdoai este infiel que não sabe o que fez. Tamanho desrespeito ofende até os céticos, quanto mais nós que somos cristãos. Não entendo a atitude deste rapaz. Isto é blasfêmia.

  9. SOU EVANGÉLICO e fiquei INDIGNADO com essa “PERFORMANCE”!
    Lamento NÃO TER OBSERVADO MUITAS REAÇÕES DE REPÚDIO nem da PRÓPRIA IGREJA CATÓLICA NEM DOS CATÓLICOS NAS REDES SOCIAIS, comportamento bem diferente de quando o BISPO DA UNIVERSAL chutou a imagem, ato igualmente condenável.
    SERÁ QUE OS CRISTÃOS VÃO OBSERVAR TAIS OFENSAS E SEQUER VÃO SE MANIFESTAR (nem que seja uma nota em suas redes sociais?)

  10. não é questão de religião, não sou católica, mas alguém por favor me diz, se a regra pregada atualmente é não a intolerância, não a ofensas das escolhas das demais pessoais. Isso que essa pessoa diz ser arte ( Me desculpe mas a minha ingenuidade leiga pensa: “o que um homem nu com um ralador ralando a imagem de uma religião, enaltece ou acrescenta ao meu conhecimento artístico ou qualquer outro conhecimento)??? Essa arte não está ofendendo quem segue essa religião?????…..Me desculpem os intelectuais e artistas ultra modernos, mas um corpo nu ralando alguma coisa não me engrandece em nada!!! Sabe o que é Arte!!! São milhares de brasileiros, que moram nas partes esquecidas desse pais que usam um ralador pra ralar a mandioca quilos e quilos pra fazer farinha, que usam um pilão para descascar o arroz, que faz a colheita manualmente pra sustento de sua família e ao fim do dia agradecem pelo dia que passou e conseguem ser felizes nas simplicidades das coisas e na vida árdua dura e difícil!!!! ISSO É ARTE!!!!

  11. Arte? Uma medra sim. O cara não tem talento e quer aparecer ofendendo a religiāo católica. É ainda é apoiado por pesados intelectuais como cantores autores. Só falta ele defecar e colocar o resultado em uma moldura dizendo ser arte.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here