Cristãos são”pendurados na cruz sobre fogo”, queimados e esmagados até a morte na Coréia do Norte!

Os cristãos na Coréia do Norte enfrentam estupro, tortura, escravidão e são mortos por sua fé, alertou um novo relatório condenatório da Christian Solidarity Worldwide (CSW).

A CSW, uma organização britânica de caridade religiosa, disse no relatório,  Total Negação: Violações à Liberdade de Religião ou Crença na Coréia do Norte , que a liberdade de religião ou crença “é praticamente inexistente” sob a liderança do ditador Kim Jong-Un.

“As crenças religiosas são vistas como uma ameaça à lealdade exigida pelo Líder Supremo, de modo que qualquer pessoa que tenha essas crenças é severamente perseguida”, diz o relatório.

“Os cristãos sofrem significativamente por causa dos rótulos anti-revolucionários e imperialistas ligados a eles pela liderança do país.”

Entre os incidentes documentados contra os cristãos estão “sendo pendurados em uma cruz sobre um fogo, esmagados sob um rolo compressor, arrebanhados de pontes e pisoteados”.

Outros crimes incluem “assassinato extrajudicial, extermínio, escravidão / trabalho forçado, transferência forçada de população, prisão arbitrária, tortura, perseguição, desaparecimento forçado, estupro e violência sexual e outros atos desumanos”.

Embora o regime diga oficialmente que há apenas 13.000 cristãos na Coréia do Norte, acredita-se que o número verdadeiro seja muito maior. Cornerstone Ministries International, que trabalha com cristãos norte-coreanos no país, assim como na China, estima que haja entre 200 e 300.000 no total.

Os crentes são forçados a praticar sua fé em segredo e, se forem pegos, são mandados para os notórios campos de trabalhos forçados da Coréia do Norte. Um fugitivo disse à CSW que, enquanto estava detido, encontrou um prisioneiro que foi enviado para o campo simplesmente porque passou um mês estudando a Bíblia na China.

“Aplica-se uma política de culpa por associação, o que significa que os parentes dos cristãos também são detidos, independentemente de compartilharem a crença cristã”, diz o relatório.

“Mesmo os norte-coreanos que escaparam para a China, e que são ou se tornam cristãos, são frequentemente repatriados e, posteriormente, presos em um campo de prisão política.”

Apesar da intensa perseguição, existem 121 instalações religiosas na Coréia do Norte, diz o Centro de Dados para os Direitos Humanos da Coréia do Norte, incluindo 64 templos budistas, 52 templos de Cheondo, três igrejas protestantes, uma catedral católica e uma igreja ortodoxa russa.

Todas as cinco igrejas estão na capital, Pyongyang, no entanto, e os analistas sugerem que elas podem funcionar principalmente para melhorar a imagem da Coreia do Norte com a comunidade internacional, e não como casas de culto livres.

Há também relatos não confirmados de 500 igrejas domésticas na Coreia do Norte, onde indivíduos cujas famílias eram cristãs antes de 1950 – quando a Guerra da Coréia começou – podem se reunir para o culto. No entanto, eles podem não eleger líderes ou usar materiais religiosos.

Os cristãos não são o único grupo religioso a sofrer sob o regime. Budistas e Cheonistas também são tratados como revolucionários, embora o número maior de templos do que igrejas “sugira que o regime possa ter um grau maior de tolerância para crenças consideradas nativas da Ásia ou da península coreana”, diz a CSW.

No entanto, a pesquisa sugere que os templos são mantidos como locais de patrimônio cultural e não como edifícios religiosos funcionais.

“Eu vi um livro budista uma vez em um templo”, disse um dos entrevistados à Comissão dos EUA sobre Liberdade Religiosa Internacional. “Ele tinha uma alça com letras chinesas e meses escritos nele. Há templos, mas as pessoas não têm permissão para acreditar neles.”

“Essas instalações religiosas, organizações e instituições são projetadas para indicar a existência de pluralismo religioso e aceitação, mas a realidade é cheia de contradições”, diz a CSW.

A Comissão de Inquérito das Nações Unidas e outras fontes testemunharam o “uso dessas instalações formais, organizações e instituições por meios políticos”.

A CSW instou a comunidade internacional a apoiar o encaminhamento da Coreia do Norte ao Tribunal Penal Internacional por suas violações dos direitos humanos.

“O regime é ativamente hostil à religião e aos fiéis religiosos, tanto nacional como internacionalmente. Muitos norte-coreanos estão sofrendo por causa de sua fé, e a comunidade internacional precisa agir urgentemente para acabar com a impunidade e garantir a prestação de contas”.

“A ONU e outros membros da comunidade internacional devem garantir que os direitos humanos sejam centrais em qualquer negociação com a Coréia do Norte … Todos os esforços devem ser feitos para buscar responsabilidade e justiça para o povo norte-coreano, que sofre abusos dos direitos humanos em escala incomparável no mundo moderno “.

Fonte: https://www.christiantoday.com/

Um comentário sobre “Cristãos são”pendurados na cruz sobre fogo”, queimados e esmagados até a morte na Coréia do Norte!”

Deixe uma resposta