21ª Semana do Tempo Comum – Sexta-feira

Must Read

Universitários americanos organizam consagração a Nossa Senhora em todo o país

Basta uma faísca para iniciar um incêndio: universitários da Flórida querem espalhar pelo país a chama da devoção a...

“Morte ao Nazareno”: Novo grito de “Crucifica-o!”?

Declarar “morte ao Nazareno” é uma frase que demonstra um ódio total à Santa Igreja Católica e seus ensinamentos...

Papa no Angelus: o verdadeiro amor ao próximo baseia-se no amor a Deus

Não é verdadeiro amor a Deus o que não se expressa no amor ao próximo; não é amor verdadeiro...


Primeira Leitura: 1 Coríntios 1,17-25
Leitura da primeira carta de São Paulo aos Coríntios – Irmãos, de fato, Cristo não me enviou para batizar, mas para pregar a Boa-nova da salvação sem me valer dos recursos da oratória, para não privar a cruz de Cristo da sua força própria. A pregação a respeito da cruz é uma insensatez para os que se perdem, mas, para os que se salvam, para nós, ela é poder de Deus. Com efeito, está escrito: “Destruirei a sabedoria dos sábios e frustrarei a perspicácia dos inteligentes”. Onde está o sábio? Onde o mestre da Lei? Onde o questionador deste mundo? Acaso Deus não mostrou a insensatez da sabedoria do mundo? De fato, na manifestação da sabedoria de Deus, o mundo não chegou a conhecer Deus por meio da sabedoria; por isso, Deus houve por bem salvar os que creem por meio da insensatez da pregação. Os judeus pedem sinais milagrosos, os gregos procuram sabedoria; nós, porém, pregamos Cristo crucificado, escândalo para os judeus e insensatez para os pagãos. Mas para os que são chamados, tanto judeus como gregos, esse Cristo é poder de Deus e sabedoria de Deus. Pois o que é dito insensatez de Deus é mais sábio do que os homens, e o que é dito fraqueza de Deus é mais forte do que os homens. – Palavra do Senhor.
Salmo Responsorial: 32(33)

Transborda em toda a terra a bondade do Senhor!

1. Ó justos, alegrai-vos no Senhor! / Aos retos fica bem glorificá-lo. / Dai graças ao Senhor ao som da harpa, / na lira de dez cordas celebrai-o! – R.

2. Pois reta é a palavra do Senhor, / e tudo o que ele faz merece fé. / Deus ama o direito e a justiça, / transborda em toda a terra a sua graça. – R.

3. O Senhor desfaz os planos das nações / e os projetos que os povos se propõem. / Mas os desígnios do Senhor são para sempre, † e os pensamentos que ele traz no coração, / de geração em geração, vão perdurar. – R.

Evangelho: Mateus 25,1-13

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos esta parábola: “O Reino dos céus é como a história das dez jovens que pegaram suas lâmpadas de óleo e saíram ao encontro do noivo. Cinco delas eram imprevidentes, e as outras cinco eram previdentes. As imprevidentes pegaram as suas lâmpadas, mas não levaram óleo consigo. As previdentes, porém, levaram vasilhas com óleo junto com as lâmpadas. O noivo estava demorando e todas elas acabaram cochilando e dormindo. No meio da noite, ouviu-se um grito: ‘O noivo está chegando. Ide ao seu encontro!’ Então as dez jovens se levantaram e prepararam as lâmpadas. As imprevidentes disseram às previdentes: ‘Dai-nos um pouco de óleo, porque nossas lâmpadas estão se apagando’. As previdentes responderam: ‘De modo nenhum, porque o óleo pode ser insuficiente para nós e para vós. É melhor irdes comprar aos vendedores’. Enquanto elas foram comprar óleo, o noivo chegou e as que estavam preparadas entraram com ele para a festa de casamento. E a porta se fechou. Por fim, chegaram também as outras jovens e disseram: ‘Senhor! Senhor! Abre-nos a porta!’ Ele, porém, respondeu: ‘Em verdade eu vos digo, não vos conheço!’ Portanto, ficai vigiando, pois não sabeis qual será o dia nem a hora”. – Palavra da salvação.

Reflexão:

O núcleo desta parábola é o versículo 13: “Estejam vigilantes”. O noivo da comunidade (Igreja) é Jesus. As virgens prudentes representam as pessoas que acolhem a proposta do Reino e se mantêm ativas na prática do amor e da justiça. Elas esperam, para o grande banquete, o noivo que demora, mas não se descuidam do óleo (justiça). Quando o Senhor vier, no fim dos tempos, ou na hora da passagem para a eternidade, elas poderão participar da festa eterna. As virgens sem juízo são as pessoas que, distraídas e alheias aos valores do Reino de Deus, não podem entrar para o banquete nupcial do Cordeiro. Melhor do que ouvir um sonoro “Não conheço vocês”, será realimentar o óleo da fé com a prática da justiça em favor do próximo.

Artigo anteriorBom dia! com os Arautos
Próximo artigoSanto Agostinho

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

vinte + 15 =

Latest News

Universitários americanos organizam consagração a Nossa Senhora em todo o país

Basta uma faísca para iniciar um incêndio: universitários da Flórida querem espalhar pelo país a chama da devoção a...

“Morte ao Nazareno”: Novo grito de “Crucifica-o!”?

Declarar “morte ao Nazareno” é uma frase que demonstra um ódio total à Santa Igreja Católica e seus ensinamentos ao longo dos séculos. Redação (26/10/2020...

Papa no Angelus: o verdadeiro amor ao próximo baseia-se no amor a Deus

Não é verdadeiro amor a Deus o que não se expressa no amor ao próximo; não é amor verdadeiro ao próximo o que não...

Papa Francisco anuncia novo consistório e a criação de 13 novos cardeais

Papa Francisco surpreende ao anunciar na Praça São Pedro um Consistório para o mês de novembro e a criação de 13 novos Cardeais. Cidade do...

Por que a vida é arte do encontro?

Fratelli Tutti desmistifica o romantismo da fraternidade e alerta: “Salvamos todos ou não se salva ninguém”. “A vida é a arte do encontro, embora...

More Articles Like This