Se durante a Quaresma as penitências se carregam em família, como vimos na meditação de ontem, na de hoje recordamos que elas, mais do que sofrimentos e privações, são grandes alegrias e doçuras, porque não sofremos à toa e sem sentido: sofremos, sim, mas sofremos amando, porque Cristo, tendo já sofrido por nós na cruz do Calvário, faz ainda questão de sofrer em nós e conosco nas cruzes do dia-a-dia. Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta quinta-feira, dia 7 de março, e peçamos a Deus luz para enxergarmos nos sacrifícios quaresmais aquele amor que a tudo dá sentido e que torna doces as mais amargas provações.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

dezenove − oito =