22 C
São Paulo
sexta-feira, outubro 22, 2021

Nova lei de eutanásia “É um assassinato deliberado”, dizem Bispos do Canadá

Antes de entrar em vigor a nova lei da eutanásia que permite mais suicídios assistidos, os Bispos do Canadá afirmam: “É um assassinato deliberado de vidas humanas”.

Antes de entrar em vigor a nova lei da eutanásia que permite mais suicídios assistidos, os Bispos do Canadá afirmam: "É um assassinato deliberado de vidas humanas".

Redação (14/04/2021, 18:05,  Gaudium Press) Os bispos canadenses emitiram uma declaração contra a nova lei que amplia os casos em que a eutanásia e o suicídio assistido são declarados legais:
“É um assassinato deliberado de vidas humanas”, dizem eles.

A nova lei de eutanásia aprovada no Canadá, que amplia a possibilidade de receber assistência médica para acabar com a vida, antes reservada apenas para aqueles que tinham “uma previsão razoável de morte natural, tem sido alvo de duras críticas por parte da Conferência Episcopal Canadense.

Recentemente o presidente da entidade episcopal, Arcebispo Dom Richard Gagnon, de Winnipeg, garantiu:
“Nossa posição permanece inequívoca: a eutanásia e o suicídio assistido constituem o assassinato deliberado de vidas humanas e viola os mandamentos da Lei de Deus; eles corroem a dignidade compartilhada ao impedir a consideração, a aceitação e o acompanhamento daqueles que sofrem e morrem.
Além disso, eles prejudicam nosso dever fundamental de cuidar dos membros mais fracos e vulneráveis da sociedade.”

“Na verdade, –disse o Presidente da Conferência dos Bispos Canadenses–, a legislação também inclui pessoas que podem não estar em risco de morte iminente, mas que atingiram um estado de “sofrimento físico ou psicológico intolerável” devido a uma doença incurável ou deficiência”. 

A vida humana deve ser protegida desde a concepção até a morte natural, em todas as fases e sob todas as condições

A nota dos Bispos canadenses, assinada por Dom Richard Gagnon de Winnipeg reitera que “a vida humana deve ser protegida desde a concepção até a morte natural, em todas as fases e sob todas as condições”.
Ele afirma que, com a provação da nova lei, os enfermos com problemas de Saúde mental e os deficientes poderão ser submetidos a pressões “muito reais, perigosas e potencialmente destrutivas”.

Os prelados canadenses expressam ainda sua gratidão e procuram mostrar seu apoio a todos os trabalhadores e voluntários da saúde “compassivos”, que “continuam a defender a vida, resistem à eutanásia e ao suicídio assistido, promovem o cuidado para com a família, amigos e entes queridos em seu sofrimento, ou auxiliando os doentes.

Dessas considerações nasce o apelo da Conferência Episcopal para que se promova “acesso rápido aos cuidados de saúde mental, apoio social para os doentes mentais e programas de prevenção do suicídio”, protegendo assim os doentes crônicos, que sofrem de doenças degenerativas ou vivem isolados em instalações de cuidados de longa duração. (JSG)

The post Nova lei de eutanásia “É um assassinato deliberado”, dizem Bispos do Canadá appeared first on Gaudium Press.

- Advertisement -
- Advertisement -

Ultimas Notícias