16.9 C
São Paulo
domingo, outubro 17, 2021

Quarta-Feira da 13° Semana do Tempo Comum

13ª SEMANA COMUM*

(verde – ofício do dia)

Povos todos, aplaudi e aclamai a Deus com brados de alegria (Sl 46,2).

Todos os povos são chamados a beneficiar-se da promessa divina. Depositemos nossa total confiança no Senhor, que escuta o clamor de todos os que o invocam.

Primeira Leitura: Gênesis 21,5.8-20

Leitura do livro do Gênesis – 5Abraão tinha cem anos quando lhe nasceu o filho Isaac. 8Entretanto, o menino cresceu e foi desmamado; e no dia em que o menino foi desmamado, Abraão deu um grande banquete. 9Sara, porém, viu o filho que a egípcia Agar dera a Abraão brincando com Isaac. 10E disse a Abraão: “Manda embora essa escrava e seu filho, pois o filho de uma escrava não pode ser herdeiro com o meu filho Isaac”. 11Abraão ficou muito desgostoso com isso, por se tratar de um filho seu. 12Mas Deus lhe disse: “Não te aflijas por causa do menino e da tua escrava. Atende a tudo o que Sara te pedir, pois é por Isaac que uma descendência levará o teu nome. 13Mas do filho da escrava farei também um grande povo, por ele ser da tua raça”. 14Abraão levantou-se de manhã, tomou pão e um odre de água e os deu a Agar, colocando-os nos ombros dela; depois, entregou-lhe o menino e despediu-a. Ela foi-se embora e andou vagueando pelo deserto de Bersabeia. 15Tendo acabado a água do odre, largou o menino debaixo de um arbusto 16e foi sentar-se em frente dele, à distância de um tiro de arco. Pois dizia consigo: “Não quero ver o menino morrer”. Assim, ficou sentada defronte ao menino e pôs-se a gritar e a chorar. 17Deus ouviu o grito do menino e o anjo de Deus chamou do céu a Agar, dizendo: “Que tens, Agar? Não tenhas medo, pois Deus ouviu a voz do menino do lugar em que está. 18Levanta-te, toma o menino e segura-o bem pela mão, porque farei dele um grande povo”. 19Deus abriu-lhe os olhos e ela viu um poço de água. Foi então encher o odre e deu de beber ao menino. 20Deus estava com o menino, que cresceu e habitou no deserto, tornando-se um jovem arqueiro. -Palavra do Senhor.

Salmo Responsorial: 33(34)

Este infeliz gritou a Deus e foi ouvido.

1. Este infeliz gritou a Deus e foi ouvido, / e o Senhor o libertou de toda angústia. / O anjo do Senhor vem acampar / ao redor dos que o temem e os salva. – R.

2. Respeitai o Senhor Deus, seus santos todos, / porque nada faltará aos que o temem. / Os ricos empobrecem, passam fome, / mas aos que buscam o Senhor não falta nada. – R.

3. Meus filhos, vinde agora e escutai-me: / vou ensinar-vos o temor do Senhor Deus. / Qual o homem que não ama sua vida, / procurando ser feliz todos os dias? – R.

Evangelho: Mateus 8,28-34

Aleluia, aleluia, aleluia.

Deus nos gerou pela palavra da verdade / como as primícias de suas criaturas (Tg 1,18). – R.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus – Naquele tempo, 28quando Jesus chegou à outra margem do lago, na região dos gadarenos, vieram ao seu encontro dois homens possuídos pelo demônio, saindo dos túmulos. Eram tão violentos, que ninguém podia passar por aquele caminho. 29Eles então gritaram: “O que tens a ver conosco, Filho de Deus? Tu vieste aqui para nos atormentar antes do tempo?” 30Ora, a certa distância deles, estava pastando uma grande manada de porcos. 31Os demônios suplicavam-lhe: “Se nos expulsas, manda-nos para a manada de porcos”. 32Jesus disse: “Ide”. Os demônios saíram e foram para os porcos. E logo toda a manada atirou-se monte abaixo para dentro do mar, afogando-se nas águas. 33Os homens que guardavam os porcos fugiram e, indo até a cidade, contaram tudo, inclusive o caso dos possuídos pelo demônio. 34Então a cidade toda saiu ao encontro de Jesus. Quando o viram, pediram-lhe que se retirasse da região deles. – Palavra da salvação.

Reflexão:

Entrar em território pagão é sempre um desafio; não se sabe o que se vai enfrentar. Jesus encontra um mundo dominado por escravidão e violência. A presença de Jesus é séria ameaça contra essa deplorável situação: “Vieste aqui para nos atormentar?”. Entre o mal (demônio) e o bem (Jesus) não pode haver acordo. Ao dizer “se nos expulsas”, os possessos sabem que Jesus tem poder sobre as forças malignas. De fato, Jesus reverte esse quadro, derrotando os poderes do mal que agem no meio dos pagãos. Ao perder seus rebanhos, os gadarenos ficam zangados com Jesus e o afastam como indesejável. É o engano de quem valoriza mais os bens materiais do que a vida humana. Outra aplicação: nosso interior é um espaço ainda desconhecido, povoado de “demônios” que precisam ser expulsos para sermos salvos plenamente.

Oração
Ó Jesus, Filho de Deus, libertas de situação deplorável dois homens com espíritos impuros. E permites que os porcos, possuídos pelos mesmos espíritos impuros, precipitem-se nas águas. Os habitantes do lugar, apegados aos bens materiais, rechaçam a tua presença libertadora, lamentavelmente. Amém.

(Dia a dia com o Evangelho 2021 – Pe. Luiz Miguel Duarte, ssp e Pe. Nilo Luza, ssp)

FONTE: PAULUS

- Advertisement -
- Advertisement -

Ultimas Notícias