19.5 C
São Paulo
quarta-feira, maio 5, 2021

Santo Atanásio, grande batalhador contra os hereges

Santo Atanásio a Constantino: “Vós me proibis de voltar para meu trono patriarcal e apoiais os hereges. Prestareis em breve contas a Deus por isso!”

Santo Atanásio a Constantino: “Vós me proibis de voltar para meu trono patriarcal e apoiais os hereges. Prestareis em breve contas a Deus por isso!”

Redação (16/02/2021, 17:10,  Gaudium Press) No século IV, houve um varão de Deus que de tal modo batalhou defendendo a Igreja e atacando seus inimigos, que sua figura heroica causou ao longo da História admiração enlevada em todos os verdadeiros católicos e ódio nos hereges. Esse foi Santo Atanásio.

Patriarca de Alexandria, aos 30 anos de idade

Nasceu ele em Alexandria, no Egito, no ano de 296, de família pagã. Desde menino admirou os modos de ser dos católicos e, na adolescência, recebeu o Batismo. Aos 17 anos de idade, o Patriarca dessa cidade, Santo Alexandre, escolheu-o como leitor e algum tempo depois o ordenou diácono.

Em 325, realizou-se o Concílio de Niceia, que condenou a heresia de Ário, a qual se espalhava por toda parte. Santo Alexandre levou a Niceia Santo Atanásio como seu secretário a fim de ajudá-lo na luta contra os hereges. Embora fosse apenas diácono, ele brilhou com tal sabedoria e coragem em defesa da Igreja que animou os bons e confundiu os maus.
Logo depois, Santo Atanásio foi ordenado bispo e, com a morte de Santo Alexandre, tornou-se Patriarca de Alexandria, tendo apenas 30 anos de idade.

Em 335, os arianos promoveram um pseudoconcílio em Tiro – cidade do Líbano –, tendo no fundo como principal objetivo condenar Santo Atanásio. Evidentemente, este não iria participar desse conciliábulo.
Explica Dr. Plinio Corrêa de Oliveira:
“Mas o Santo recebeu do Imperador Constantino um decreto, obrigando-o comparecer para discutir com os hereges. Aí mudava a situação. Não era mais aceitar o concílio como uma assembleia legítima, da qual ele participaria, mas ir lutar contra o pseudoconcílio, aliás, um conciliábulo de hereges.
“Ele, então, foi; estavam presentes cento e tantos bispos. […]

Atmosfera de calúnia e de ódio

“Acompanhado de um sacerdote que lhe era fiel, Santo Atanásio entra na assembleia, onde todos os bispos paramentados o recebem. Não lhe destinam lugar para sentar-se; ele fica em pé e percebe logo que os arianos não queriam discutir doutrina — porque os hereges não gostam de discutir doutrina, eles vão fazendo afirmações e depois caluniam.

“Santo Atanásio percebeu que se tratava de uma acusação; ele ia ser julgado, numa atmosfera de calúnia e de ódio tal que nem se constituía um tribunal regular, o qual ele recusaria. Foi um puro vozeiro contra ele.

“E a primeira investida foi esta: uma mulher de má vida levantou-se e disse que ela estava rica devido ao dinheiro que Santo Atanásio lhe dava; tinha presenciado, durante os períodos em que ele passava em lugares que não se sabia onde, tais e tais abominações; e que podia dar provas disso porque ela era testemunha.
“Então, à medida que ela falava, os bispos arianos bramiam que ele precisava ser deposto, condenado etc. — porque não há como um herege para se fingir de zelador dos bons costumes, quando se trata de perseguir um verdadeiro católico.

“Santo Atanásio, com uma inteligência extraordinária, sutil, não disse nada. Conservou-se sereno e deixou o pessoal vociferar. Apenas ele soltou um cochicho no ouvido do padre que o acompanhava.

“Quando o sacerdote pôde cortar a palavra da meretriz, ele lhe disse, fingindo que era Santo Atanásio: ‘Então, você afirma realmente que me conheceu, que me viu etc.?’

“A tonta pensou que aquele fosse Santo Atanásio, o qual ela nunca tinha visto. Então, declarou: ‘Afirmo.’ ‘Jura?’ ‘Juro.’ […] “Então, os próprios hereges estalaram na gargalhada. Porque a farsa ficou de tal maneira evidente, que não era mais possível continuar.

Acusado de ter assassinado um bispo

“Aí, alguns mais fanáticos dentre os arianos começaram a exclamar: ‘Tem mais essa acusação, que é gravíssima!’ […]
“Levantou-se um bispo herético, tirou de uma caixa uma mão ressequida de um morto, e disse: ‘Aqui está a mão de tal bispo meleciano, morto por Atanásio em tal ocasião.’ […]

“Santo Atanásio ouviu isso também com toda a serenidade possível. Entre os assistentes — é uma coisa que só se explica por intervenção divina — havia um homem de cabeça baixa e recoberto com aqueles panos do Oriente. Santo Atanásio foi até ele e perguntou aos arianos: ‘O bispo tal morreu? Vocês têm certeza?’ ‘Temos.’ O Santo puxou o pano e disse: ‘Olhem, aqui está ele.’ Era o próprio bispo meleciano…

“Então, Santo Atanásio, gracejando, disse o seguinte: ‘Deus não deu a cada um de nós mais do que duas mãos; levante uma mão!’ Ele levantou. ‘Agora levante a outra.’ Ele o fez e o Santo concluiu: ‘Bem, compete a vocês explicar em que parte do corpo dele se encaixava outra mão.’ Cumprimentos… e o caso estava liquidado.

“Os arianos desarmaram? Não. Começaram a gritar atrás de Santo Atanásio: ‘Mágico, praticou crime de magia! Não se pode explicar, a não ser por magia, que esse homem estivesse aqui presente nesta hora!’

“Essa é a psicologia do herege. Diante das provas mais capazes de cegar, mais deslumbrantes de que estão com má-fé, eles não desanimam; encontram outra calúnia e mais outra, e vão sempre para a frente. Mas a coisa ficou tão desmoralizada que acabou.”

Exilado para a cidade de Tréveris

Sabendo que o Imperador Constantino se deixara enlear pelos arianos, Santo Atanásio dirigiu-se a Constantinopla a fim de conversar com ele. Mas, Constantino não quis recebê-lo e exilou-o para Tréveris, cidade localizada no Sudoeste da Alemanha.

Então, o Santo lhe disse: “Vós me proibis de voltar para meu trono patriarcal e apoiais os hereges. Prestareis em breve contas a Deus por isso!”

Ao chegar a Tréveris, ele foi acolhido com todas as honras pelo Bispo, São Maximino, e permaneceu nessa cidade durante dois anos e quatro meses. À morte de Constantino o Grande, em 337, seu filho Constantino II tornou-se Imperador do Ocidente, concedeu-lhe liberdade e ele regressou para a sua diocese de Alexandria, onde foi acolhido triunfalmente pelos verdadeiros católicos.

Esse foi o primeiro exílio de Santo Atanásio. Posteriormente, devido ao ódio que os hereges tinham contra ele, sofreu mais quatro exílios. O Santo enfrentou todos esses sofrimentos com espírito de oração, confiança em Deus e combatividade.

Por Paulo Francisco Martos

(in “Noções de História da Igreja – 41)
………………………………………………………………………..
1- Sequazes do melecianismo, heresia que deve seu nome a Melécio de Licópolis. Inicialmente contrários aos arianos, uniram-se a estes para atacar Santo Atanásio.
2- CORRÊA DE OLIVEIRA, Plinio. Santo Atanásio, gigante contra o arianismo. In revista Dr. Plinio, São Paulo. Ano XVI, n. 182 (maio 2013), p. 27-28.
3- Cf. DARRAS, Joseph Epiphane. Histoire Génerale de l’Église. Paris: Louis Vivès. 1876, v. IX, p. 305-314.

The post Santo Atanásio, grande batalhador contra os hereges appeared first on Gaudium Press.

- Advertisement -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezoito − 1 =

- Advertisement -

Ultimas Notícias