São Bruno

Must Read

Será verdade que Bento XVI está em agonia?

Uma corrente de pedidos de oração, veiculada pelas redes sociais e que circula pelo mundo inteiro, afirma que o...

Bispos portugueses lamentam e condenam atentado terrorista na Catedral de Nice

Os prelados de Portugal manifestaram sua solidariedade para com a Diocese de Nice e a Conferência dos Bispos da...

Polônia: declaração de Bispos encoraja fiéis a defenderem templos e objetos sagrados

Bispos poloneses: “Ninguém pode defender melhor a Igreja e os objetos sagrados do que a comunidade dos fiéis” Redação (29/10/2020,...


Hoje lembramos o santo que se tornou o fundador da Ordem dos Cartuxos, considerada a mais rígida de todas as Ordens da Igreja, e que atravessou a história sem reformas.

Filho de família nobre de Colônia (Alemanha), nasceu em 1032. Quando alcançou idade foi chamado pelo Senhor ao sacerdócio, e se deixou seduzir. Amigo e admirado pelo Arcebispo de Reims, Bruno, inteligente e piedoso, começou a dar aulas na escola da Catedral desse local, até que já, cinquentenário e cônego, amadureceu na inspiração de servir a uma Ordem religiosa.

Após curto estágio num mosteiro beneditino, retirou-se a uma região chamada Cartuxa com a aprovação e bênção de São Hugo, Bispo de Grenoble, o qual lhe ofereceu um lugar. Isto se deu graças a um sonho que São Hugo teve. Neste sonho, apareciam-lhe sete estrelas que caíam aos seus pés para, logo em seguida, levantarem-se e desaparecerem no deserto montanhoso. Após este sonho, o Bispo recebeu a visita de Bruno que estava acompanhado por seis companheiros monges. Ao ver os sete varões, o Bispo Hugo reconheceu imediatamente neles as sete estrelas do sonho e concedeu-lhes as terras onde São Bruno iniciou a Ordem gloriosa da Cartuxa com o coração abrasado de amor por Jesus e pelo Reino de Deus. Com os monges companheiros, observava-se absoluto silêncio, a fim do aprofundamento na oração e à meditação das coisas divinas, ofícios litúrgicos comunitários, obediência aos superiores, trabalhos agrícolas, transcrição de manuscritos e livros piedosos.

Quando um dos discípulos de São Bruno tornou-se Papa (Urbano II), teve ele que obedecer ao Vigário de Cristo, já que o queria como assessor, porém, recusou ser Bispo e após pedir com insistência ao Sumo Pontífice, conseguiu voltar à vida religiosa, quando juntamente com amigos de Roma, fundou no sul da Itália o Mosteiro de Santa Maria da Torre, onde veio a falecer no dia 6 de outubro de 1101.

As últimas palavras foram: “Eu creio nos Santos Sacramentos da Igreja Católica, em particular, creio que o pão e o vinho consagrados, na Santa Missa, são o Corpo e Sangue, verdadeiros, de Jesus Cristo”.

São Bruno, rogai por nós!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

4 × um =

Latest News

Será verdade que Bento XVI está em agonia?

Uma corrente de pedidos de oração, veiculada pelas redes sociais e que circula pelo mundo inteiro, afirma que o...

Bispos portugueses lamentam e condenam atentado terrorista na Catedral de Nice

Os prelados de Portugal manifestaram sua solidariedade para com a Diocese de Nice e a Conferência dos Bispos da França, prometendo rezar pelas vítimas...

Polônia: declaração de Bispos encoraja fiéis a defenderem templos e objetos sagrados

Bispos poloneses: “Ninguém pode defender melhor a Igreja e os objetos sagrados do que a comunidade dos fiéis” Redação (29/10/2020, 17:00, Gaudium Press) O Conselho...

CNBB promove Seminário Nacional de Catequese a Serviço da Iniciação à Vida Cristã

O evento, que seguirá o lema “Jesus chamou os que Ele quis, para estarem com Ele e enviá-los a anunciar (cf Mc 3,13-14)”, será...

França proíbe celebrações religiosas a partir de 2 de novembro

França: Ministro do Interior anuncia suspensão de celebrações religiosas públicas a partir de 2 de novembro. Paris – França (29/10/2020, 12:00, Gaudium Press) O ministro do...

More Articles Like This

Clique aqui para receber todas as noticias!
Dismiss
Allow