8 milhões de italianos sem Eucaristia: Milão, Turim e Veneza suspendem missas públicas

1
1124

As dioceses de Milão, Turim e Veneza anunciaram que suspendem as celebrações públicas da Missa, como uma medida para impedir a disseminação do coronavírus , que desde o final da semana passada causou seis mortes e mais de 200 infectados no norte da Itália.

Milão é a maior diocese da Europa, com 5,5 milhões de habitantes; Turim tem 2,1 milhões e Veneza com 360.000. São cerca de 8 milhões de italianos sem acesso à massa, exceto a televisão ou a Internet.

O arcebispo de Milão, Mario Delpini, tomou a decisão com base em uma regra decretada pelo presidente da região da Lombardia, adotada em conjunto com o ministro da Saúde italiano.

As massas públicas são suspensas indefinidamente e serão retomadas quando parecer prudente, segundo as autoridades de saúde. Além disso, embora seja permitido continuar celebrando casamentos e funerais nas Igrejas, é solicitado que apenas os parentes mais próximos venham.

A arquidiocese de Milão comunicou que, embora a missa não seja celebrada, os templos permanecem abertos, incluindo o famoso Duomo de Milão. Obviamente, o Duomo pode entrar nos fiéis para orar – e não em grupos – mas não em turistas.

missa não será celebrada na diocese de Turim, embora aqui tenha sido marcada uma data de retorno à normalidade: 29 de fevereiro. A missa de quarta-feira de cinzas em Turim passa para 1º de março.

Veneza fecha San Marcos

Na diocese de Veneza (que por motivos históricos tem o título de Patriarcado), a suspensão permanecerá em vigor até 1º de março. Conforme relatado pelo Patriarcado por meio de uma declaração, a celebração pública da Missa foi suspensa, incluindo a quarta e o domingo de cinzas, bem como a celebração de batismos, primeiras comunhões e confirmações. Ao contrário do Duomo de Milão, aqui a famosa Basílica de San Marcos será fechada.

Em substituição à celebração da Missa, o Patriarcado pede aos fiéis que “dediquem um tempo conveniente à oração e meditação, se necessário, também ajudando nas celebrações transmitidas no rádio e na televisão ”. O mandato de “santificar os feriados” (domingos e feriados da guarda) ainda está em vigor, embora deva ser exercido sem ir ao templo.

Nota dos bispos italianos: não ao medo estéril

A Conferência Episcopal Italiana (CEI) pediu aos fiéis católicos, por meio de uma declaração, “uma colaboração total com as autoridades competentes do Estado e das regiões para conter o risco”. Peça também orações para os doentes e as autoridades de saúde. O comunicado pede para evitar “a confusão e o medo de levar a um fechamento estéril: é o momento de encontrar motivos de realismo, confiança e esperança, que permitam enfrentar essa difícil situação”.

 

Fonte: https://www.religionenlibertad.com/europa/141049603/8-millones-de-italianos-sin-Eucaristia-Milan-Turin-y-Venecia-suspenden-las-misas-publicas.html

1 COMENTÁRIO

  1. Malditos! Parar de celebrar Missas para acabar com um vírus… isso é o oposto do que deveria ser feito para tal fim.
    Deveriam aumentar o número de Missas, aumentar os lugares com adoração ao Santíssimo Sacramento, os padres deveriam ser incisivos quanto aos novíssimos do homem e aumentar as filas dos concessionários, e aí sim teríamos o fim dessa doença.
    Itália, Itália… tantos milagres em tua história e tu negas a todos para abraçar as preocupações mudanças… teus dias estão contados!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

vinte − 13 =