Herodes, à semelhança da raposa, era astuto e ao mesmo tempo covarde: astuto para matar, como a raposa que rasga e devora, e covarde por não atacar de frente, mas por fraudes e mentiras, como a raposa que avança à socapa, desde esconderijos. A isso nos rebaixamos quando damos corda solta à ira, que deveríamos empregar não para fazer o mal, mas para realizar grandes e valiosos bens, o maior dos quais é a nossa própria santificação e salvação. Assista à homilia do Padre Paulo Ricardo para esta quinta-feira, dia 31 de outubro, e examinemos hoje, aos pés de Cristo, pelo que temos lutado e a que bens temos canalizado as nossas energias.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here