Justiça proíbe ONG abortista de usar “católicas” no nome

Must Read

1º Domingo do Advento

(roxo, creio, prefácio do Advento I – 1ª semana do saltério) A vós, meu Deus, elevo a minha alma. Confio...

São Francisco Antônio Fasani, modelo de Sacerdote

São Francisco Antônio Fasani, verdadeiro amigo do seu povo, foi para todos irmão e pai O santo de hoje nasceu...

Um feliz Ano Novo!

Somos convidados a uma séria preparação para o Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo; e qual o melhor meio...


A proibição é da Justiça de São Paulo que considerou o nome “Católicas pelo Direito de Decidir” incompatível com os valores e princípios da Igreja Católica.

 A proibição é da Justiça de São Paulo que considerou o nome "Catolicas pelo Direito de Decidir" é incompatível com os valores e princípios da Igreja Católica.

São Paulo – SP (28/10/2020, 17:15, Gaudium Press) A ONG abortista autodenominada “Católicas pelo Direito de Decidir” não poderá mais usar o termo “católicas” em seu nome.
A determinação é da Justiça de São Paulo que considerou que a dita associação é incompatível com os valores e princípios morais da Igreja Católica.

A organização abortista promove conduta que é homicídio de bebês no útero materno

A decisão partiu da 2ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo que acatou o pedido feito pela Associação Centro Dom Bosco de Fé e Cultura, que defendeu que o uso do termo “católicas” por utilizado por esta ONG é ilícito e abusivo, uma vez que a organização abortista, “sob pretexto de defender os ‘direitos reprodutivos das mulheres’”, pratica “autêntica promoção de conduta que nada mais é do que o ‘homicídio de bebês no útero materno’”.
A decisão da Justiça Paulista foi publicada na terça-feira, 27 de outubro, e atende a um recurso à decisão de 1ª instância, que havia julgado a ação como improcedente por considerar que só uma autoridade eclesiástica competente poderia fazer este tipo de pedido.
O Centro Dom Bosco recorreu, alegando que tem legitimidade para pedir a retirada da expressão “católicas”.

A proibição é da Justiça de São Paulo que considerou o nome "Catolicas pelo Direito de Decidir" é incompatível com os valores e princípios da Igreja Católica.

‘Católicas pelo Direito de Decidir’ revelam pública, notória, total e absoluta incompatibilidade com valores Igreja Católica

O relator do recurso, desembargador José Carlos Ferreira Alves, assinalou em seu voto que a atuação concreta e a finalidade de ‘Católicas pelo Direito de Decidir’ revelam “pública, notória, total e absoluta incompatibilidade com os valores mais caros adotados pela associação autora e pela Igreja Católica de modo geral e universal”.
Segundo o desembargador, “ao defender o direito de decidir pelo aborto, que a Igreja condena clara e severamente, há nítido desvirtuamento e incompatibilidade do nome utilizado em relação às finalidades e atuação concreta da associação, o que viola frontalmente a moral e os bons costumes, além de ferir de morte o bem e os interesses públicos”.
Além disso, o desembargador indicou que “a liberdade de expressão não estará minimamente prejudicada (não é disso que se está a tratar), podendo a associação requerida defender seus valores e ideias (inclusive o aborto) como bem entender, desde que utilize nome coerente, sem se apresentar à sociedade com nome de instituição outra que adota pública e notoriamente valores flagrantemente opostos”.

Live do Centro Dom Bosco: o nome usado pela ONG abortista perverte o significado do próprio catolicismo

Na noite de terça-feira, o Centro Dom Bosco realizou uma live para abordar a decisão judicial com seu presidente, Pedro Affonseca, com Lucas Henrique, membro da mesma instituição, e com a deputada federal católica Chris Tonietto, ligada à associação.
Segundo explicou Chris Tonietto, que é advogada e colaborou com a ação, julgou-se “esse nome [Católicas pelo Direito de Decidir] subversivo porque perverte o significado do próprio catolicismo, por isso a gente diz que elas produziram a confusão”.

 A proibição é da Justiça de São Paulo que considerou o nome "Catolicas pelo Direito de Decidir" é incompatível com os valores e princípios da Igreja Católica.

Não posso dizer que sou católica e minhas atitudes não denotarem a minha catolicidade

“Quem é católico e honra seu batismo precisa não só ter a observância, mas cumprir os preceitos da Igreja, os mandamentos da Igreja, precisa abraçar e viver a sua fé na sua integralidade, na sua totalidade. A gente não pode escolher o que vai seguir”, pontuou.

Além disso, acrescentou que “existe uma sã doutrina que precisa muito bem ser cumprida e, inclusive, ganhar eco na nossa vida. Eu não posso dizer que sou católica e minhas atitudes não denotar a minha catolicidade”.
Nesse sentido, reforçou que “essa organização sempre atuou para produzir confusão, tanto que o nome de ‘católicas pelo direito de decidir’, com certeza foi usado de forma abusiva e indevida”.

O que é a ONG abortista que agora está proibida de usar “católicas” no nome 

A ONG “Católicas pelo Direito de Decidir” é uma organização fundada em 1973 nos Estados Unidos e que se expandiu na América Latina, sobretudo, na década de 1990, tendo sido instituída no Brasil em 1993.
Nos últimos anos, esta organização que se autodenomina católica já investiu milhões de dólares para promover a legalização do aborto na América Latina.
Além disso, declarou que “tomará as medidas cabíveis após o recebimento da determinação judicial”. (JSG)

The post Justiça proíbe ONG abortista de usar “católicas” no nome appeared first on Gaudium Press.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

9 + sete =

Latest News

1º Domingo do Advento

(roxo, creio, prefácio do Advento I – 1ª semana do saltério) A vós, meu Deus, elevo a minha alma. Confio...

São Francisco Antônio Fasani, modelo de Sacerdote

São Francisco Antônio Fasani, verdadeiro amigo do seu povo, foi para todos irmão e pai O santo de hoje nasceu em Lucera (Itália), a 6...

Um feliz Ano Novo!

Somos convidados a uma séria preparação para o Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo; e qual o melhor meio de fazê-lo, senão pelo exemplo...

Por que o Advento?

Advento! O Natal se aproxima: É o maior acontecimento da História: o Verbo se fez carne e habitou entre nós Esperemos Jesus que vem...

Colégio de Cardeais tem 900 anos: veja sua história, números e curiosidades

O Consistório de hoje é o sétimo convocado por Francisco, eleva o número de presenças no Colégio Cardinalício para 229, 101 não-eleitores. Redação (28/11/2020, 11:50,...

More Articles Like This

mersin escort - casinomeritroyal.com - Goldenbahis -
Dumanbet