InícioNotícias da IgrejaOremos pelo nosso Pontífice Francisco

Oremos pelo nosso Pontífice Francisco

Published on

No dia 29 de junho, a Igreja celebra a Solenidade do martírio dos apóstolos Pedro e Paulo. Ambos marcaram fortemente os inícios da Igreja.

Oremos pelo nosso Pontifice Francisco

Foto: Vatican Media.

Redação (29/06/2023 16:54, Gaudium Press) Pedro, escolhido pelo próprio Jesus, foi a referência central do grupo dos apóstolos e discípulos na Igreja iniciante. Após dizer a Pedro que rezava por ele e por sua contínua conversão, Jesus lhe confiou esse encargo de altíssima responsabilidade: “E tu, uma vez convertido, confirma os teus irmãos” (cf. Lc 22,32). Sua autoridade era reconhecida e respeitada, pois os apóstolos lembravam as palavras de Jesus a Pedro: “Apascenta os meus cordeiros, apascenta as minhas ovelhas” (Jo 21,15-16).

Paulo foi chamado a ser apóstolo após a ressurreição de Jesus, quando os cristãos já sofriam as primeiras perseguições. O próprio Paulo (Saulo), zeloso pela tradição de seus pais, pretendia acabar com os cristãos, mas foi surpreendido por um encontro inesperado com o próprio Jesus, que o escolheu para ser seu apóstolo e missionário e para sofrer muito pelo Evangelho e por Jesus (cf. At 9,13-16). Paulo representa a Igreja em saída missionária “até os confins da terra”, o diálogo com os povos e suas culturas, a preocupação para ir ao encontro de todas as pessoas, mesmo não pertencendo ainda visivelmente à comunidade da Igreja. De fato, o Evangelho é “Boa Nova” para todos os povos, e não apenas para algum grupo.

A Igreja precisa da autoridade de Pedro e da pregação de Paulo

Pedro e Paulo sofreram o martírio por causa de sua fé e seu testemunho em favor de Cristo em Roma, no coração do Império Romano. Seus túmulos estão em Roma e continuam sendo meta de peregrinações ainda em nossos dias, como têm sido ao longo dos séculos. Pedro e seus sucessores representam na Igreja o serviço à unidade da fé e à comunhão na vida da Igreja. Ao mesmo tempo, os sucessores de Pedro têm a missão de continuar zelando pelo anúncio do Evangelho a toda criatura (cf. Mc 16,15). A Igreja precisa da autoridade de Pedro e da pregação de Paulo. É o que o Papa faz com grande dedicação em nossos dias: ele zela pela vida e a missão da Igreja.

Na solenidade do martírio dos apóstolos Pedro e Paulo, celebramos também o “Dia do Papa” e a Igreja inteira é chamada a rezar intensamente pelo Papa Francisco. Nós já o fazemos em todas as Missas, após a consagração do pão e do vinho. Hoje, porém, nossa oração deve ser ampliada, mais consciente e pessoal. A oração “por Pedro” já vem dos tempos apostólicos. De fato, após ter mandado decapitar Tiago, o primeiro mártir entre os apóstolos, Herodes prendeu a Pedro, pretendendo dar a ele também o mesmo fim. “Enquanto Pedro era mantido na prisão, a Igreja rezava continuamente a Deus por ele” (At 12,5). O próprio Papa Francisco pede a todo instante, como um refrão que ele repete e não esquece: “Por favor, não deixem de rezar por mim”. Rezar pelo Papa, por sua pessoa e nas suas intenções, é um dever de todo católico.

Nós, católicos, devemos respeito e obediência à pessoa específica do Papa

No Dia do Papa, também é oportuno lembrar nosso dever de respeitar o Papa e de dar atenção ao seu magistério ordinário, que é o ensinamento constante que ele oferece a toda a Igreja e à humanidade sobre os mais diversos assuntos de fé e moral. Lamentavelmente, as críticas ao Papa e a discordância aberta em relação aos seus ensinamentos não surgem apenas em ambientes externos à Igreja, mas até mesmo no interior da comunidade católica, o que é muito lamentável e sinal de falta de “comunhão” e até desrespeito à pessoa e à missão do Papa. Os ensinamentos e decisões do Papa sobre questões de Liturgia e vida interna da Igreja também precisam ser acolhidos com fé e adesão sincera, sem “mas” nem “porém”. Não se trata de simpatia nem de afinidade ideológica. Para nós, é questão de fé. Talvez também seja oportuno lembrar, no Dia do Papa, uma questão que parece fora de moda, até em ambientes eclesiásticos: obediência ao Papa. Não a um Papa ideal, dos nossos gostos: nós, católicos, devemos respeito e obediência à pessoa específica do Papa, que hoje traz o nome de Francisco.

Hoje, em muitos lugares, a Igreja canta e pede: “Oremus pro Pontifice nostro Francisco. Dominus conservet eum et vivíficet eum” – Oremos pelo nosso Pontífice Francisco. O Senhor o conserve com saúde e vitalidade e não lhe deixe faltar o Espírito de sabedoria e fortaleza no cumprimento de sua grande e pesada missão!

Por Cardeal Odilo Pedro Scherer – Arcebispo Metropolitano de São Paulo

The post Oremos pelo nosso Pontífice Francisco appeared first on Gaudium Press.

Últimas Notícias

3º Domingo da Páscoa: um convite ao verdadeiro amor

Amor, palavra que precisa ser devidamente compreendida, conforme nos propõe a Liturgia deste 3º...

Santa Ludovina

Na Holanda, Santa Ludovina, cuja memória é celebrada no dia 14 de abril, suportou...

Atentado de Anagni

O Rei Felipe, o Belo, neto de São Luís IX, promoveu contra o Papa...

Mosteiro europeu sem falta de vocações

Atualmente, quase 100 monges residem no mosteiro cisterciense de Heiligenkreuz, localizado ao sul de...

Audio-Book

148. I. Meditações de Santo Afonso Maria de Ligório (AUDIOBOOK)

https://www.youtube.com/watch?v=8gGGSaTK2ic Meditações de Santo Afonso Maria de Ligório — Bispo e Doutor da Igreja Quarta Dor...

147. II. Meditações de Santo Afonso Maria de Ligório (AUDIOBOOK)

https://www.youtube.com/watch?v=63iCH0qZxGY Meditações de Santo Afonso Maria de Ligório — Bispo e Doutor da Igreja Jesus é...

146. I. Meditações de Santo Afonso Maria de Ligório (AUDIOBOOK)

https://www.youtube.com/watch?v=4b50saBVvfY Meditações de Santo Afonso Maria de Ligório — Bispo e Doutor da Igreja Jesus é...