InícioNotícias da IgrejaSacerdote Capuchinho ao Papa: a Igreja nos Estados Unidos é mais forte...

Sacerdote Capuchinho ao Papa: a Igreja nos Estados Unidos é mais forte do que na Europa

Published on

O Pe. Thomas G. Weinandy fez referência às declarações do Papa à CBS, nas quais ele afirma que os conservadores americanos têm uma “atitude suicida”.

2020082614080 8c70d8bc5505a8857dfbc212b88a344474aa6209364cf702797bb5be56220e5d 700x466 1

Redação (24/05/2024 09:02, Gaudium Press) Diversas declarações feitas por Francisco durante sua entrevista a Norah O’Donnell, da CBS, continuam a gerar polêmica, como a referência aos católicos conservadores americanos que estão em uma “atitude suicida”, daquele que se apega a algo e não quer ver além disso.

Com efeito, o Pe. Thomas G. Weinandy, OFM, Cap., um renomado teólogo e antigo membro da Comissão Teológica Internacional, expressou a sua opinião em The Catholic Thing, observando que é quase um clichê o Papa criticar a Igreja dos EUA visto que “ele considera a Igreja Católica americana conservadora, em particular muitos dos bispos americanos”.

Quanto à atitude “suicida” deplorada pelo Papa na entrevista à CBS, o Pe. Weinandy acredita que, de acordo com o pensamento do Papa, “esta mentalidade suicida parece assentar na presunção de que, se alguém não está aberto à obra contemporânea do Espírito Santo, essa pessoa morre enquanto a Igreja continua a se desenvolver”.

“Ademais, ser suicida significa que um conservador se fecha em uma ‘caixa dogmática‘. Francisco admite que a tradição doutrinária e moral da Igreja deve ser ‘considerada’, mas não pode impedir um maior desenvolvimento. A caixa dogmática pode estar cheia de ensinamentos doutrinários e morais tradicionais da Igreja, mas se a caixa permanece fechada, as doutrinas morais e os ensinamentos que ela contém não servem para nada. Tornam-se doutrinas mortas e, portanto, incapazes de atender às necessidades atuais”, continua o capuchinho.

Por outro lado, ressalta o sacerdote, “o que realmente não é suicida é confiar no poder regenerador da graça de Jesus Cristo”, e dá um exemplo:

“Muitos têm notado a ironia de o Papa Francisco se relacionar com o New Ways Ministry e o Pe. James Martin, S.J., que afirmam e incentivam ativamente estilos de vida homossexuais. No entanto, ele nunca elogia a coragem daqueles com tendências homossexuais que vivem uma vida casta. É como se uma vida tão virtuosa fosse inimaginável. Tal atitude implica que Jesus não nos salvou do pecado e que o Espírito Santo é impotente quando se trata de viver uma vida santa. O pecado ainda reina supremo e Satanás continua a governar o mundo. Esta atitude deve ser desencorajadora para aqueles com tendências homossexuais que se esforçam para viver uma vida santa. Também insulta a sua integridade.”

É verdade que “há conservadores que são suicidas ao querer manter fechada a sua apreciada ‘caixa dogmática’. Porém, ser conservador no verdadeiro sentido do termo é preservar e incentivar o que é verdadeiro e bom e que precisa ser preservado e incentivado. Portanto, os católicos, bispos, clérigos e leigos americanos que desejam desesperadamente preservar o ensinamento eclesial tradicional e a tradição relativa à lei moral não são suicidas, mas são a verdadeira esperança para o futuro”.

Uma caixa dogmática aberta, da qual emanam doutrinas vivificantes

“De sua caixa dogmática aberta, eles extraem doutrinas vivificantes e salvadoras: que Deus, em seu amor por nós, enviou seu Filho ao mundo para que o mundo não viva nas trevas do pecado. Além disso, aqueles que acreditam em Jesus ressuscitado como seu Salvador e Senhor vivem na luz de sua graça salvadora”.

“Da mesma forma, pelo batismo, a natureza pecaminosa da pessoa morre e ela renasce como uma nova criação cheia do Espírito em Cristo. A pessoa deixa de ser escrava do pecado, e está livre das artimanhas e do domínio do diabo. Além disso, no Sacramento da Confissão, o sacerdote, em nome de Jesus, absolve todo pecado e o sacramento fornece a graça específica necessária para repelir as tentações contra a virtude da castidade”.

O frade capuchinho lamenta que o Papa considere que a Igreja americana tem uma “propensão para dogmas sem vida”. Mas “o que ele percebe não é verdade. Embora a Igreja esteja lutando aqui, ela é muito mais forte do que qualquer uma de suas contrapartes na Europa Ocidental.” Ele solicita que se reze pelo Papa e pela Igreja Católica americana “para que permaneça sempre forte na fé e, assim, dê glória a Jesus, o Filho Encarnado cheio do Espírito do Pai”.

The post Sacerdote Capuchinho ao Papa: a Igreja nos Estados Unidos é mais forte do que na Europa appeared first on Gaudium Press.

Últimas Notícias

Quinta-Feira da 10° Semana do Tempo Comum

SANTO ANTÔNIO DE PÁDUA PRESBÍTERO E DOUTOR DA IGREJA (branco, pref. comum ou dos pastores –...

Santo Antônio de Pádua, presbítero e doutor da Igreja

Francisco de Assis, que encontrou o jovem frei Antônio por ocasião do capítulo geral,...

Iraque: Estado reconhece Cardeal Sako como Patriarca da Igreja

O primeiro-ministro iraquiano, Muhammad Shiaa al-Sudani, assinou um decreto “nomeando” o cardeal iraquiano Louis...

Bispos poloneses pedem proteção do nascituro frente à agenda política para impor o aborto

“Ninguém, em nome da liberdade pessoal, tem o direito de decidir sobre a vida...

Audio-Book

148. I. Meditações de Santo Afonso Maria de Ligório (AUDIOBOOK)

https://www.youtube.com/watch?v=8gGGSaTK2ic Meditações de Santo Afonso Maria de Ligório — Bispo e Doutor da Igreja Quarta Dor...

147. II. Meditações de Santo Afonso Maria de Ligório (AUDIOBOOK)

https://www.youtube.com/watch?v=63iCH0qZxGY Meditações de Santo Afonso Maria de Ligório — Bispo e Doutor da Igreja Jesus é...

146. I. Meditações de Santo Afonso Maria de Ligório (AUDIOBOOK)

https://www.youtube.com/watch?v=4b50saBVvfY Meditações de Santo Afonso Maria de Ligório — Bispo e Doutor da Igreja Jesus é...