InícioNotícias da IgrejaBispos alemães aprovam Comissão Sinodal contrariando declaração anterior

Bispos alemães aprovam Comissão Sinodal contrariando declaração anterior

Published on

A narrativa faz lembrar a fábula do “O Pastor Mentiroso e o Lobo”. Relato histórico.

5 3

Redação (06/05/2024 13:15, Gaudium Press) Há poucos dias, ocorreu o que parecia ter sido rejeitado após a última reunião dos bispos vaticano-alemães, em março passado: a aprovação dos estatutos do chamado Comitê Sinodal, incumbido de estabelecer, antes de 2026, um Conselho Sinodal, ou seja, um “órgão consultivo e decisório interdiocesano”. Esta entidade composta por leigos e clérigos busca exercer não apenas funções consultivas, mas também o governo a Igreja alemã, algo que contradiz a estrutura hierárquica da Igreja estabelecida por Cristo. Apenas quatro bispos se opuseram à aprovação desses estatutos, os de Colônia, Regensburg, Passau e Eichstatt.

Já em fevereiro passado, por ocasião da assembleia plenária da Conferência Episcopal Alemã, a aprovação desses estatutos fazia parte da agenda. Porém, uma carta de 16 de fevereiro, redigida pelos cardeais Parolin, Fernández e Prevost, com um tom ameaçador, argumentou que o órgão pretendido a ser criado “não está previsto no direito canônico vigente e, portanto, uma decisão da DBK (Conferência Episcopal Alemã) a esse respeito seria inválida, com as correspondentes consequências jurídicas”.

A carta de 16 de fevereiro relembrava que o Vaticano já havia se manifestado contra tal aprovação:

“Surge também a questão de saber que autoridade teria a Conferência Episcopal para aprovar os estatutos. Nem mesmo o can. 455 CIC nem o art. 8 do Estatuto da DBK fornecem uma base para isso, nem a Santa Sé emitiu um mandato – pelo contrário, manifestou-se na direção oposta. […] Note-se que a questão já tinha sido delineada durante a última visita Ad Limina e, posteriormente, na carta de 16 de janeiro de 2023 do Cardeal Secretário de Estado e dos Prefeitos dos Dicastérios para a Doutrina da Fé e para os Bispos, na qual foi expressamente solicitado, por mandato especial do Santo Padre, que a criação de tal conselho não fosse adiante”.

Além disso, a Carta anunciava que a aprovação dos estatutos da Comissão Sinodal seria motivo para a ruptura dos diálogos com Roma:

“A este respeito, em outubro passado, foi acordado conjuntamente que as questões eclesiológicas abordadas pelo Caminho Sinodal, incluindo a questão de um órgão consultivo e decisório interdiocesano, seriam discutidas com maior profundidade no próximo encontro entre representantes da Cúria Romana e da DBK. Se o Estatuto da Comissão Sinodal for aprovado antes desta reunião, coloca-se a questão do objetivo desta reunião e, de modo mais geral, do processo de diálogo em curso”.

Mas, após o encontro de 22 de março entre bispos alemães e membros da Cúria Vaticana (entre outros os cardeais Parolin, Fernández, Prevost, Koch e Roche) em Roma, um diálogo descrito como “positivo e construtivo”, o perigo parecia ter sido exorcizado e a bandeira branca da paz foi hasteada. Nada seria feito nessas questões sem a autorização do Vaticano.

Assim lê o boletim da Sala de Imprensa do Vaticano, descrevendo aquele encontro: “Foram discutidas algumas questões teológicas abertas levantadas nos documentos do Caminho Sinodal da Igreja na Alemanha. Isso possibilitou identificar diferenças e convergências, conforme método adotado no Relatório Final do Sínodo da Igreja Universal de outubro de 2023. Foi acordado um intercâmbio regular entre representantes da CEA [Conferência Episcopal Alemã] e da Santa Sé sobre os futuros trabalhos do Caminho Sinodal e da Comissão Sinodal. Os bispos alemães esclareceram que este trabalho procurará identificar as formas concretas de exercício da sinodalidade na Igreja na Alemanha, de acordo com a eclesiologia do Concílio Vaticano II, as disposições do direito canônico e os frutos do Sínodo da Igreja universal, submetendo-os então à aprovação da Santa Sé. As partes concordaram em realizar a próxima reunião antes do verão de 2024.” [grifo nosso]

No entanto, o verão ainda não chegou, e os bispos alemães demonstram que as advertências e gestos afetuosos vindos de Roma têm pouco valor para eles.

Nos próximos dias 14 e 15 de maio, em Berlim, será feita a apresentação oficial da Comissão Sinodal. Essa Comissão será a matriz de um Conselho Sinodal, dotado de autonomia para decidir não só questões administrativas, mas também – e “democraticamente” – temas doutrinários, como o impossível sacerdócio feminino, questões de moral sexual, etc., seguindo a linha já delineada pela generalidade da Igreja alemã durante seu processo sinodal, ou seja, em sentido heterodoxo.

Berlim locuta… causa finita est? Aguarda-se uma resposta do Vaticano, que muitos já criticam por falta de ação corretiva. (CCM)

Com informações Il Foglio

The post Bispos alemães aprovam Comissão Sinodal contrariando declaração anterior appeared first on Gaudium Press.

Últimas Notícias

São Gregório VII: O Papa que venceu o mundo

25 de maio, dia em que a Igreja celebra a memória de São Gregório...

Santuário de Fátima lança podcast sobre a oração

O primeiro episódio do novo podcast, intitulado ‘ORA h’, já está disponível nas plataformas...

Sacerdote Capuchinho ao Papa: a Igreja nos Estados Unidos é mais forte do que na Europa

O Pe. Thomas G. Weinandy fez referência às declarações do Papa à CBS, nas...

Nossa Senhora Auxiliadora: uma verdadeira Amiga!

No dia 24 de maio, a Igreja celebra Nossa Senhora Auxiliadora dos Cristãos. Muito...

Audio-Book

148. I. Meditações de Santo Afonso Maria de Ligório (AUDIOBOOK)

https://www.youtube.com/watch?v=8gGGSaTK2ic Meditações de Santo Afonso Maria de Ligório — Bispo e Doutor da Igreja Quarta Dor...

147. II. Meditações de Santo Afonso Maria de Ligório (AUDIOBOOK)

https://www.youtube.com/watch?v=63iCH0qZxGY Meditações de Santo Afonso Maria de Ligório — Bispo e Doutor da Igreja Jesus é...

146. I. Meditações de Santo Afonso Maria de Ligório (AUDIOBOOK)

https://www.youtube.com/watch?v=4b50saBVvfY Meditações de Santo Afonso Maria de Ligório — Bispo e Doutor da Igreja Jesus é...