Como a felicidade está ligada à caridade

Must Read

Sacerdote denuncia aumento de violência contra Cristãos na Nigéria

O país está nas garras do Ceifador a violência contra os cristãos deixa os fiéis paralisados ​​de medo, incapazes...

Quer ser feliz? Fuja da inveja

Comentários à liturgia deste XXV Domingo do Tempo Comum. Companheira indissociável da tristeza, do abatimento e do desânimo, a...

“Juntos por Cabo Delgado”: cresce Campanha solidária da Diocese de Pemba

A Campanha “Juntos por Cabo Delgado” é uma iniciativa solidária com o objetivo de fortalecer ações humanitárias na resposta...


people-821624-640

Quem é que não quer ser feliz nesta vida? É um desejo honesto, que Deus não nos nega. Na verdade, Ele nos mostra o verdadeiro caminho para a felicidade.
O Pe. Francis Xavier Lasance explica que a felicidade está intimamente ligada à caridade:

“Nossa felicidade depende em grande medida da observância da lei da caridade fraterna: ‘Amarás o teu próximo como a ti mesmo’ e da regra de ouro anunciada por nosso bendito Salvador: ‘O que quereis que os homens vos façam, fazei-o também a eles’ (Lucas 6,31). Ao fazer o bem aos outros, tornamo-nos semelhantes a Cristo”.

Quanto mais pensamos e cuidamos dos outros, mais nossa felicidade pessoal cresce. Diz Lasance:

“Nós colhemos o que semeamos. Bondade gera bondade. O homem dificilmente pode desfrutar de uma satisfação mais doce do que a que resulta de uma boa ação generosamente realizada ou de uma palavra gentil proferida com altruísmo.”

O segredo é ser verdadeiramente caridoso em pensamento e ação, não simplesmente fazendo a bondade por obrigação, mas por causa de nosso desejo sincero pelo bem de outra pessoa. Se nos arrependermos da caridade que damos a outra pessoa, nossa felicidade provavelmente diminuirá, pois ficaremos desapontados quando a outra pessoa não retribuir o gesto.

No entanto, quando não estamos preocupados com o que os outros pensam e simplesmente fazemos uma ação gentil pelo amor que temos, nossa felicidade aumenta. O Pe. Lasance explica:

“Nossos atos de caridade desinteressada estão registrados no Livro da Vida. No grande dia da recompensa, nosso bendito Salvador dirá: ‘Vinde, benditos de meu Pai, tomai posse do Reino que vos está preparado desde a criação do mundo, porque tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; era peregrino e me acolhestes; nu e me vestistes; enfermo e me visitastes; estava na prisão e viestes a mim’ (Mateus 25, 34-36).”

Portanto, se queremos uma felicidade verdadeira e duradoura, devemos nos esforçar para sermos caridosos diariamente, enxergando Jesus Cristo em cada pessoa que encontramos.

Via Aleteia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

vinte + 1 =

Latest News

Sacerdote denuncia aumento de violência contra Cristãos na Nigéria

O país está nas garras do Ceifador a violência contra os cristãos deixa os fiéis paralisados ​​de medo, incapazes...

Quer ser feliz? Fuja da inveja

Comentários à liturgia deste XXV Domingo do Tempo Comum. Companheira indissociável da tristeza, do abatimento e do desânimo, a inveja é um mal tanto...

“Juntos por Cabo Delgado”: cresce Campanha solidária da Diocese de Pemba

A Campanha “Juntos por Cabo Delgado” é uma iniciativa solidária com o objetivo de fortalecer ações humanitárias na resposta a uma crise que cresce...

São Januário

A história do santo deste dia se entrelaça com a cidade italiana de Nápoles, onde o corpo e sangue de Januário estão guardados. Este...

24ª Semana do Tempo Comum – Sábado

Primeira Leitura: 1 Coríntios 15,35-37.42-49 Leitura da primeira carta de São Paulo aos Coríntios – Irmãos, alguém perguntará: Como ressuscitam os mortos? Insensato! O que semeias...

More Articles Like This