Coragem para me confessar

Must Read

Missionários Saletinos no Brasil realizam 27º Capítulo Provincial

Durante o encontro, os religiosos saletinos escolherão o novo Conselho Provincial para o triênio de 2021 a 2023. Paraná –...

Violência anticatólica no Chile: Bispos Argentinos da Patagônia se unem em oração

Unimos a Vós, queremos estar perto de Vós em profunda comunhão de oração, nestes momentos de tristeza e angústia. São...

Polônia comemorou 36º aniversário do martírio do beato Jerzy Popiełuszko

Em 19 de outubro de 1984, poucas horas após celebrar sua última missa, o Padre Popiełuszko foi sequestrado e...


Preciso me confessar, mas não consigo. O que fazer?

Redação (26/08/2020 10:57, Gaudium Press) No último fim de semana, jantei com um amigo cearense. A prosa foi bastante agradável, tratando de temas variados e interessantes, porque, para este gênero de nordestinos, as palavras nunca faltam. Satisfeitos e bem alimentados, como não tínhamos compromisso, estendemos despreocupadamente o colóquio.

No vai e vem da conversa, meu companheiro soltou uma frase que me deixou pasmo: “O mais limpo não é o que nunca se sujou, mas o que foi lavado mais vezes”.

Há um tipo de sabedoria que não se aprende nas universidades e não se encontra nas bibliotecas. É uma ciência que o dinheiro não compra. Ela é toda feita de experiência, análise e contemplação. É uma sabedoria que só a vida dá. Aprende-se vivendo.

A proposição do meu bom amigo cearense, dita no calor da prosa, revela uma verdade com uma simplicidade e clareza que os livros de catecismo e os manuais de espiritualidade não conseguem empregar. Quando ele soltou a frase, imediatamente relacionei-a a um dos tesouros da Igreja: o sacramento da confissão.

O que é sacramento da confissão?

O sacramento da confissão (também chamado sacramento da reconciliação ou do perdão) é o meio instituído por Deus para que o homem, arrependido, obtenha o perdão de suas faltas (Cf. CCE 1422-1424).

Por que o padre perdoa os pecados?

É verdade que só Deus pode perdoar os pecados. Porém, ele confiou ao homem esta autoridade (Cf. CCE 1441-1442), conforme está relatado no evangelho de São João: “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, eles serão perdoados; a quem os retiverdes, eles serão retidos” (Jo 20, 22-23). Os ministros de Nosso Senhor Jesus Cristo, portanto, têm esse múnus de absolver as faltas dos homens.

Quando eu me aproximo daquela “casinha” em busca da confissão, não é à pessoa que está ali que eu relato meus pecados. O padre é apenas representante de “Alguém”: Deus que está à nossa espera para ver-nos limpos.

Como fazer a confissão?

Porém, para que uma confissão seja bem-feita, são necessários alguns requisitos. O penitente deve ter verdadeiro arrependimento das faltas, ou seja, dor das faltas e desejo de não tornar a pecar. Ele tem obrigação de declarar a falta inteira, sem esconder nada. Deve, por fim, cumprir uma penitência dada pelo sacerdote, a qual nada mais é do que uma satisfação, uma reparação (Cf. CCE 1450-1460).

O que faz a confissão?

Ou seja, quais os efeitos da confissão? Primeiramente, este sacramento restitui nossa amizade com Deus, devolvendo a graça às nossas almas. Opera-se uma verdadeira ressurreição. Quem se confessa corretamente é invadido por uma alegria e uma consolação enormes.

Mas ocorre outra coisa.

Entre os homens, quando perdoamos uns aos outros, é frequente que restem ainda rancores. As feridas deixam cicatrizes. O copo quebrado, ainda que colado, deixa marcas.

O que acontece na confissão?

Quando a confissão é bem feita, sincera e com verdadeira contrição, tudo é perdoado e ESQUECIDO por Deus. Diz a Escritura que Nosso Senhor atira ao fundo do mar nossos pecados: eles não serão mais encontrados (Cf. Mq 7, 18-19).

Convite para cada um

O mais limpo não é o que nunca se sujou, mas o que foi lavado mais vezes”. O sacramento da confissão pode ser repetido quantas vezes for necessário. Se, com o coração contrito, pedimos perdão, nossa alma ficará mais limpa do que antes da falta cometida.

A quarentena afastou-nos da confissão, é verdade. Mas também é verdade que já há muito tempo os confessionários estavam empoeirados.

Não é preciso demonstrar que o homem erra. Todos sabemos e estamos fartos de sabê-lo. Que é necessário pedir perdão, quase todos ainda admitem. Coragem para fazê-lo, falta a muita gente.

A estes, damos uma solução: ajoelhe-se e peça a Nossa Senhora, Mãe de misericórdia, que os conduzam pela mão. Não serão desamparados.

 

Por Paulo da Cruz

The post Coragem para me confessar appeared first on Gaudium Press.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

1 + dez =

Latest News

Missionários Saletinos no Brasil realizam 27º Capítulo Provincial

Durante o encontro, os religiosos saletinos escolherão o novo Conselho Provincial para o triênio de 2021 a 2023. Paraná –...

Violência anticatólica no Chile: Bispos Argentinos da Patagônia se unem em oração

Unimos a Vós, queremos estar perto de Vós em profunda comunhão de oração, nestes momentos de tristeza e angústia. São Carlos de Bariloche – Argentina...

Polônia comemorou 36º aniversário do martírio do beato Jerzy Popiełuszko

Em 19 de outubro de 1984, poucas horas após celebrar sua última missa, o Padre Popiełuszko foi sequestrado e torturado até a morte, por...

Como podemos buscar viver um vida de santidade?

O propósito dessa pequena série de textos é ajudá-lo a identificar se você tem vivido uma vida mundana e, em caso positivo, mostrar que...

Dom Paulo Cezar Costa é nomeado o novo Arcebispo de Brasília

Anunciada a nomeação do novo arcebispo da arquidiocese de Brasília (DF), nesta quarta-feira, 21 de outubro. O Papa Francisco escolheu dom Paulo Cezar Costa,...

More Articles Like This