23.3 C
São Paulo
sábado, agosto 13, 2022

Mais escândalos financeiros no Vaticano?

O Papa diz que não, graças ao Cardeal Pell, reconhecido por Francisco como um “gênio”.

Redação (11/07/2022 13:44, Gaudium Press) Cardeal George Pell, o homem-chave nas reformas econômicas do Vaticano, é o que disse o Papa a Phil Pulella, correspondente da agência de notícias Reuters em Roma e Itália, que está divulgando ‘em parcelas’ os textos de sua conversa com o Papa na Casa Santa Marta, em 2 de julho: “Essa ideia da Secretaria para a Economia veio do Cardeal Pell. Ele foi o gênio”.

Uma Secretaria que é garantia de correção de erros passados ​​na gestão econômica, pois busca estar integrada “com pessoas técnicas, que entendem, que não caem nas mãos de ‘benfeitores’, ou de amigos que depois te fazem escorregar; eu acho que este novo dicastério, digamos, que tem todas as finanças em suas mãos, é uma segurança na administração. Porque antes a administração era muito desorganizada”.

“Amigos que te fazem escorregar”, afirmou Francisco, que expandiu seu pensamento a este respeito quando falou de um antigo chefe de secção da Secretaria de Estado encarregado de administrar certas finanças, mas que não estava totalmente qualificado para essa tarefa, e que de boa fé confiava nos amigos para ajudá-lo. Só que “às vezes os amigos não eram a Beata Imelda e, por isso, aconteceu o que aconteceu”.

A Beata Imelda Lambertini, filha do Conde Egano Lambertini de Bolonha, foi aceita na ordem dos pregadores ainda criança. Seu maior desejo era receber a Eucaristia, mas sua pouca idade a impedia de fazê-lo. Um dia, festa da Ascensão do Senhor, ela estava ajoelhada rezando e uma hóstia apareceu em cima dela. O capelão deu-lha em comunhão. Poucos momentos depois, ela morreu. Fato ocorrido em 1333.

A culpa por esta situação foi, portanto, “a irresponsabilidade” da estrutura, “que legou a responsabilidade a uma pessoa de bem que estava ali porque tinha o lugar que tinha. E este não tinha conhecimentos (sobre assuntos financeiros) e teve que pedir ajuda de fora, sem controles internos suficientes. A administração não era madura.”

A amplitude de funções na Secretaria para a Economia, descrita pelo Papa, deve ser uma garantia de que não há “áreas reservadas” para sua gestão, como se pode concluir das declarações do próprio Cardeal Pell que, por ocasião do lançamento do seu livro “Diário de Prisão”, no final do ano passado, disse que “havia resistência na Secretaria de Estado. Mas se o Revisor (Auditor) das contas ou nós da Secretaria para a Economia tivéssemos podido intervir antes, teríamos economizado muito, muito dinheiro destinado à propriedade de Londres e também a outros lugares”, como foi relatado pela La Stampa. Diversos cálculos foram feitos sobre as perdas da Santa Sé em todas as negociações do imóvel na Sloane Avenue, em Londres.  Com efeito, alguns calculam as perdas em cerca de 150 milhões de euros.

The post Mais escândalos financeiros no Vaticano? appeared first on Gaudium Press.

- Advertisement -
- Advertisement -

Ultimas Notícias